ENERGIA

Na área de energia, a Pimenta de Ávila presta serviços de consultoria para estudos e projetos de geração de energia elétrica, nas fases de concepção e implantação.

A  empresa   está   capacitada   a   desenvolver   estudos   de   arranjo   geral   de  aproveitamentos hidrelétricos, seleção de tipo de barragem, estudos de  potencial de geração de energia e projetos de obras  civis, além   de  apoiar  os  clientes nas  análises e estudos de detalhamento e revisão  que  antecedem  a sua  participação nos leilões de energia.

A empresa atua, também, na avaliação das condições de segurança e  durabilidade de  estruturas  geotécnicas  e de  concreto das  usinas hidrelétricas e PCH’s. Nessa área, realiza  trabalhos  de  inspeções  de  campo, avaliação  das  estruturas,  programação de  investigações  e  ensaios,  definição  de  obras  e  serviços  de  recuperação  e  elaboração  de  projetos, termos  de  referência  e especificações técnicas  dos  serviços. Além  disso, a  empresa  apoia  os  clientes  na  contratação  e  supervisão  dos  serviços de  cadastramento físico  das  estruturas,  investigações  geológico-geotécnicas, investigações do concreto e  ensaios  de  campo e de  laboratório, visando a avaliação das condições de segurança e durabilidade das estruturas.

Os  tipos  de trabalhos  acima mencionados, já  foram desenvolvidos pela Pimenta de Ávila para as seguintes usinas de geração de  energia:

  • Usina de Ilhinha no Rio Trombetas
  • PCH de Mello
  • PCH Ituerê
  • PCH Nova Usina Maurício
  • PCH Glória
  • Barragem de Irapé
  • Usina de Funil
  • Usina de São Manoel
  • Usina de Estreito no Rio Tocantins
  • Usina de Belo Monte
  • PCH Lagoa Grande
  • PCH Riacho Preto
  • PCH Boa Ponte
  • PCH Areia Branca
  • Usina de Teles Pires
  • Usinas na Guiné (África)

Como primeira  abordagem  para  avaliação  de  aproveitamentos  hidrelétricos, a  Pimenta  de  Ávila   possui  uma  metodologia desenvolvida para a estimativa do potencial energético das bacias hidrográficas por meio de técnicas de  geoprocessamento, com a identificação  das  principais  quedas  existentes ao longo  do trecho  de  rio  em  estudo  e  os  respectivos  potenciais  de  cada empreendimento  selecionado.   Nessa  metodologia,  já  são  levadas  em  consideração  as  principais  interferências   de   cada  empreendimento ligados  aos  aspectos  socioambientais, arqueológicos, dentre outros.